RARÍSSIMO, linha de vinhos idealizados por Osvaldo Amado

Uma linha de vinhos de projeto autoral, com expressões raras, e lançadas quando o enólogo entende que o vinho é capaz de mostrar sua qualidade e atributos.

Conforme o nome do projeto indica, apenas vinhos raros e únicos são lançados pelo enólogo e autor do projeto, Osvaldo Amado. Esta linha só estará disponível no Brasil por meio da Mosto Flor, loja online de vinhos ultra-premium e icônicos, que acaba de ser inaugurada.

Osvaldo Amado nasceu em Angola e chegou em Portugal aos 14 anos, já na região da Bairrada, onde também se formou como enólogo. Acumulando mais de 30 anos de experiência na produção de vinhos, Amado contabiliza mais de 600 milhões de garrafas produzidas sob sua supervisão e mais de 1.100 prêmios recebidos por seus vinhos e pela atuação como enólogo.

Osvaldo conhece como poucos o potencial das diferentes regiões vitivinícolas de Portugal, em especial Dão e Bairrada (onde é o responsável pelas vinícolas da Global Wines – Santar, Cabriz e Quinta do Encontro, por exemplo), e também acumula experiência de trabalho na Itália, Espanha, África do Sul e até mesmo no Brasil.

Não por acaso, foram nessas duas regiões do centro de Portugal, que Amado decidiu iniciar seu projeto. Tanto o Dão quanto a Bairrada vêm despontando como berço dos vinhos mais interessantes e longevos de Portugal, fora do mainstream do Douro e Alentejo.

No final de 2019, Osvaldo Amado decidiu deixar de lado as inúmeras consultorias enológicas para lançar os vinhos de seu projeto autoral, com expressões raras, que estão sendo lançadas em seu devido tempo quando o enólogo entende que o vinho é capaz de mostrar sua qualidade e atributos.

Os primeiros vinhos que chegam ao mercado brasileiro com exclusividade pela Mosto Flor chocam pela longa guarda prévia e maturação, seja nos espumantes, brancos e tintos. Um processo cuidadoso, com acompanhamento constante para que cada vinho esteja em sua plenitude; o conhecimento e paciência que Osvaldo Amado coloca à disposição dos consumidores. Além das minúcias para elaborar e criar os vinhos, até mesmo a embalagem acompanha a filosofia. A atenção aos detalhes chega ao ponto da análise e inspeção individual de cada rolha utilizada nas garrafas.

Dois dos cinco vinhos RARÍSSIMO retratam uma paixão que agora o enólogo pôde revelar: a variedade Arinto. “Há poucas castas tão transversais e com tanta versatilidade, que consigam fazer quatro ou cinco produtos distintos”, comenta Osvaldo Amado. Conheça os detalhes de cada um dos rótulos criados por Osvaldo Amado:

O Espumante RARÍSSIMO Bairrada Extra-Bruto 2006 é feito 100% com a Arinto, portanto um blanc de blancs, dos solos calcários da Bairrada (como em Champagne). A prensagem foi feita com tamanho cuidado que apenas 40% do mosto flor, a parte mais nobre, foi utilizado. Metade do volume fermentou em tanques de inox e a outra metade fermentou em barricas francesas de segundo uso. Uma vez feito o lote dos dois componentes, o vinho seguiu para a 2a fermentação na garrafa, para a tomada de espuma e em seguida repousou por 144 meses (12 anos) com as leveduras. Após o dégorgement, o espumante maturou mais 12 meses nas caves antes de sair ao mercado. Apenas 1.500 garrafas produzidas.

O RARÍSSIMO Dão Branco 2011 é feito a partir de vinhas velhas na zona de Tondela, onde há uma mescla de 85% de Encruzado, 10% de Bical e 5% de Malvasia Fina. O vinho fermentou diretamente nas barricas de carvalho francês de 2o uso e seguiu para amadurecimento na própria garrafa. A Encruzado tem se revelado uma das castas autóctones portuguesas mais nobres e complexas, aportando estrutura. 1500 garrafas produzidas.

O RARÍSSIMO Bairrada Branco 2015 é feito unicamente com a Arinto, que passou por extração pelicular de 4 horas antes da fermentação para extrair todo seu potencial. Metade do volume do vinho fermentou em tanques de inox, 25% fermentou em barricas francesas de 2o uso e 25% fermentou em barricas francesas novas, todas com tostagem suave, seguido de estágio de 6 meses nas mesmas barricas. Apenas 1.500 garrafas produzidas.

O RARÍSSIMO Dão Clarete Clássico 2013 é mais um caso de excepcionalidades que Osvaldo Amado engarrafa. Um rosé que remete aos raros rosés de Tondonia e Château Musar. A mescla de Touriga Nacional, Aragonez e Alfrocheiro estagiou por 4 anos em tanques de inox, antes de ser engarrafado. Total de garrafas produzidas: 3.000.

O RARÍSSIMO Dão Tinto 2001 mostra a longevidade e elegância dos vinhos do Dão. A mescla de Touriga Nacional (50%), Aragonez (20%), Alfrocheiro (20%) e Jaen (10%) é macerada longamente em lagares de granito, seguindo o processo clássico e tradicional da região. Estagiado por 24 meses em barricas de carvalho francês e depois de engarrafado o tempo se encarregou de dar a devida complexidade. Apenas 1500 garrafas produzidas.